Onde reside a felicidade?

A felicidade não é um estado emocional ou um estado de espírito. Mas pode ser o seu maior valor, o seu maior objetivo, ou o seu sentimento num determinado momento. O desafio é procurar e encontrar felicidade em tudo o que lhe envolve, mesmo em momentos de medo, rejeição, abandono, solidão – apelidados de “infelizes”.

O ser humano deseja a felicidade, no entanto não sabe como obtê-la e quando a alcança não sabe como mantê-la.

A que se deve esta situação tão recorrente na nossa vida? Porque é que vivemos, frequentemente, dececionados e em “desequilíbrio” com a felicidade? Gostará, o ser humano de se auto-vitimizar ao invés de se responsabilizar pela sua falha para se sentir feliz?

A felicidade habita em nós, talvez como um “vírus” positivo: está presente e adormecido nos piores momentos da nossa vida, uma vez, que o centro desta somos nós mesmos. A felicidade reside no amor próprio, antes do amor alheio.

Nesse caso… O que acontece quando dependemos emocionalmente de outras pessoas ou coisas?

Acabamos por colocar a nossa esperança e força fora de nós, apoiadas num pilar emocional externo. Mas até os pilares mais fortes podem ruir… Então, o que nos acontece, quando um pilar emocional cai? Perdemos o nosso apoio, certo?

Ser feliz é manter a esperança, acreditar no presente e no futuro. É acreditar em nós, nas nossas capacidades, naquilo que conquistámos, nos nossos sucessos – no nosso amor interno.

Assim, quanto mais sofredora for a nossa visão da vida, mais difícil é enxergar para fora dela. Por vezes, a nossa felicidade ou bem-estar não é de fácil acesso, mas torna-se um desafio saboroso poder finalmente conquistá-la.

Pergunta o leitor: mas então o que nos falta para ultrapassar o desafio? O que é que tenho de fazer para ser ou estar feliz? Que ferramentas tenho de adquirir, para alcançar o que desejo?

Eu respondo: procure em si mesmo aquilo que não encontra fora de si.

O poder de ser feliz não está na mulher ou marido que nos abandonou. Não está no pai que não nos contacta, não está no dinheiro que se evapora da conta. E também não pertence aos hipotéticos amigos que nós teimamos em manter nas nossas vidas.

Todos os dias, acordamos e vivemos conscientes até adormecermos. Então, que tal, começar o dia com um pensamento e atitude positiva ao pequeno-almoço e durante o dia ir reforçando a dosagem, fazendo pausas benéficas? Não criem expectativas para o “hoje” – isso permite surpreender e ser surpreendidos pelo que possa surgir. 

Tudo o que semeamos dentro de nós irá crescer: semeiem amor, é isso que irão colher mais tarde.

Acreditar nesta filosofia de vida, é meio caminho feito para se viver uma vida feliz.
Por isso, sejam felizes.

Sandra Pereira
Sandra Pereirahttps://www.sandrapereiracoaching.blogspot.com
Olá sou a Sandra. Adoro escrever e por isso publiquei o meu primeiro “filho” há 3 anos: Contos Metafóricos – um compêndio de pequenas histórias, onde o objetivo é educar as emoções de jovens e adultos. Sou Life Coach; Formadora de Gestão Emocional; escritora e uma apaixonada por plantas e por gastronomia.

Publicações relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações mais vistas

82,663FãsCurtir
25,394SeguidoresSeguir
1,056SeguidoresSeguir
spot_img
Este website utiliza cookies para otimizar a sua experiência de navegação.