leitura infantil, ler com as crianças, literatura infantil, pais a lerem para os filhos

A importância da leitura de histórias às crianças – componente lúdica e a auto-estima

Escrito por Susana Martins

A importância da leitura de histórias às crianças – componente lúdica e a auto-estima

Às vezes uma criança precisa apenas de um “momento” em que se sente segura para conseguir expressar as suas ideias e comunicar as suas vivências. E esse momento, cabe dentro de uma história!

As histórias são bastante necessárias na vida das crianças, uma vez que apelam às suas emoções, e permitem-lhe entrar no mundo do faz de conta, motivando e desenvolvendo a imaginação de cada uma. Ao mesmo tempo, proporcionam-lhes momentos calmos e de concentração porque não querem perder o fio condutor da história, e também divertidos, pois por norma são momentos de euforia e ansiedade, por estarem à espera de algumas surpresas.

É fundamental criar na criança atitudes positivas e prazer face à leitura. Para tal, é necessário proporcionar às crianças momentos de leitura agradáveis e positivos. Dinamizar a leitura procurando incentivar a curiosidade, proporcionando-lhes momentos lúdicos, dinâmicos e, sobretudo, que contribuíam para desenvolver o seu sentido da leitura.

historias, ler com os filhos, ler com crianças

Para isso, existem algumas estratégias que podemos usar para incentivarmos a criança para a leitura, mas também para o desenvolvimento da sua imaginação e criatividade. A forma como se interpreta uma história, as inflexões de voz, uma boa entoação, a expressão facial, o suspense, são algumas estratégias muito importantes que devemos considerar, quando lemos ou contamos uma história às crianças.

Na leitura de uma história podemos partilhar com as crianças algumas estratégias de leitura, por exemplo ler o título para que as crianças possam dizer do que trata a história, propor que prevejam o que vai acontecer a seguir, identificar os nomes e as atividades das personagens.

Estas e outras estratégias contribuem, não só para captar-lhes a atenção como também para estimular o interesse pela leitura e a participação na conversa decorrente. E assim chegamos ao pretendido – promover a comunicação. A criança sente motivação e também algum estímulo para querer participar e partilhar a sua opinião e, mais uma vez, cabe ao adulto valorizar e reforçar positivamente a opinião partilhada. É fundamental que procuremos construir representações positivas na criança, bem como se torna necessário o desenvolvimento de expetativas positivas sobre ela e sobre as suas capacidades.

Então o nosso papel enquanto adultos passa por fomentar a valorização das suas capacidades, elogiando a sua participação voluntária nas atividades e neste sentido, acaba-se também por desenvolver uma relação mais próxima, onde existe- o “momento”, onde partilham ideias e estabelecem um bom elo de comunicação, promovendo a auto-estima. Qualquer criança sentirá um clima mais favorável ao sucesso se encontrar no adulto confiança nas suas capacidades e expetativas positivas face aos seus esforços de desenvolvimento e aprendizagem.

Ler mais da Susana Martins aqui

icon CutxiCutxi

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: