Sobre a Terceira Idade

por Isabel Pereira

Quem fomos,

Quem somos,

Quem estava connosco e já não está.

A contagem dos dias é obtusa,

Porque todos eles são idênticos.

Já não se distingue dias da semana e dias de festa.

A saudade “martela” a mente.

Vem a doença e demência,

Vem a fraqueza e a inércia

E os dias contam-se na pacata cadeira em frente à janela… ou já na cama.

Foi-se a esperança,

Foi-se o brilho,

Chega a solidão, 

Malfadada idade…

Pena, é mesmo pena que se não aproveite a riqueza interna destes seres humanos que já só “envelhecem”, mas são tão sábios.

Recheados de experiências valiosas.

Exímios contadores de histórias,

Deram-nos colo,

Agora são peso!

É urgente que se unam forças neste Portugal imenso,

Onde se cristalizam nos corpos a saudade e solidão,

Que se insurjam as vozes,

Que se institua da assembleia da república à casa de família:

Um voto de louvor!

Um voto de dignidade!

Um voto de gratidão e amor!

Para esta geração que lentamente morre antes do óbito.

Isabel Pereira
Isabel Pereira
Mulher, Mãe, Esposa, Filha. Chamo-me Isabel, tenho 36 anos e moro em Oliveira de Azeméis. Sou uma apaixonada por desenvolvimento pessoal e espiritual. Gosto de ler, correr, caminhar na natureza, ir à praia. Gosto de conversar e de, empaticamente, me colocar no lugar do outro. Mais do que Ter materialmente, busco Ser a cada dia

Publicações relacionadas

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicações mais vistas

82,663FãsCurtir
25,394SeguidoresSeguir
1,059SeguidoresSeguir
spot_img
Este website utiliza cookies para otimizar a sua experiência de navegação.